Buscar

A gôta (Mário da Mata)

E eu bebi do insustentável

E de cada gota lamentei

O peso dos cadarços

Dos meus óculos dos meus traços

Em farrapos os destroços

Daquilo que um dia sustentava ser.

Posts recentes

Ver tudo

Touch

No instante tardio, entre laços frágeis, tênues, corrompidos, buscamos, sobretudo, aquilo que nos transpassa, ainda que para isso restem apenas lamentos. E embora cansados e vencidos, suspiraremos ext

A vírgula (Aline Bischoff)

Tão pequena E tão importante. Precede grandes desfechos. Possibilita recomeços. Faz separação. Muda a significação. Uma pausa. Uma respiração. Uma delimitação. Um sinal de pontuação.

Quadrinha 3 (Susi Dalí)

No ruído das ruas, O silêncio contagia; Ressoa nesta gleba, Gritos de hipocrisia.

© Copyright