Buscar

Carta ao café

Café aroma de lar

Ritual, despedida de quem vai,

Abraço a quem retorna

Coffea arábica, Coffea canephora,

Coffea liberica, Coffea dewevrei

E as raças secretas de café


Cremes, bolos, infusões

Drinks, balas, canapés

Reversa marihuana

De santos, céticos e sahibs


Aqueduto tônico odoropulsante

Odoropulsar:

Café cuspidor de estrelas,

Regurgitador de luzes

Festim fenomenológico

Reserva moral da literatura


Sol do leite, do creme, do rum

Sol para tantas pressurosas luas

Centro da galáxia


Inimigo do deus do sono Oneiros,

Adversário do deus de gelo Ymir

Multilíngue deus de ébano & trópico


Licor laboral

Elixir de trevas luminosas

Rubro fruto de a noroeste

Do Eufrates e do Tigre

Último pomo a escapar do Paraíso

Antes de seu traslado

De volta ao seio de Deus


Orfeu negro, liquefeita

Cítara

Poema em estado tênsil

Combustível dos Napoleões

Comburente dos Quixotes


Aumente a pressão sanguínea

De nossas ideias,

Aqueça nossa tumultuosa

Solidão campestre ou citadina


Sammis Reachers

Posts recentes

Ver tudo

O bêbado no cais

Em cada despertar um olhar estático em direção ao horizonte Morre o velho nasce o novo e dispôs-se a recordar Infante, clemente, nem tanto incandescente a vela acesa no altar Foge de mim esperança ao

Rota para a luz

Rota para a luz, A tua ténue paixão, Rosto que me seduz, Quando me dás a tua mão. O meu acreditar conduz, Todo os meus desejos e coração. Nem o passar do tempo reduz, Esse sentimento de emoção. O amor

Lua de marfim

Te contemplo no céu, Te admiro por sob o mar, Deixo guiar-me pelo seu véu, Misterioso clarão do Luar! Oh! Lua de marfim! Tem pena! Tem pena de mim! És minha saga, Beijo o chão, Por onde vaga O teu cla