Buscar

Carta ao café

Café aroma de lar

Ritual, despedida de quem vai,

Abraço a quem retorna

Coffea arábica, Coffea canephora,

Coffea liberica, Coffea dewevrei

E as raças secretas de café


Cremes, bolos, infusões

Drinks, balas, canapés

Reversa marihuana

De santos, céticos e sahibs


Aqueduto tônico odoropulsante

Odoropulsar:

Café cuspidor de estrelas,

Regurgitador de luzes

Festim fenomenológico

Reserva moral da literatura


Sol do leite, do creme, do rum

Sol para tantas pressurosas luas

Centro da galáxia


Inimigo do deus do sono Oneiros,

Adversário do deus de gelo Ymir

Multilíngue deus de ébano & trópico


Licor laboral

Elixir de trevas luminosas

Rubro fruto de a noroeste

Do Eufrates e do Tigre

Último pomo a escapar do Paraíso

Antes de seu traslado

De volta ao seio de Deus


Orfeu negro, liquefeita

Cítara

Poema em estado tênsil

Combustível dos Napoleões

Comburente dos Quixotes


Aumente a pressão sanguínea

De nossas ideias,

Aqueça nossa tumultuosa

Solidão campestre ou citadina


Sammis Reachers

Posts recentes

Ver tudo

Devolvo à natureza um sorriso tímido

Devolvo à natureza um sorriso tímido A cada manhã que acordo, mesmo que barulhenta << Às vezes, preferivelmente barulhenta>> Por sentir-me parte de algo maior, Por respirar tão fundo, calmamente enche

Maracaninha Encantada

Na beira da praia apresento minhas penas. Elas são verdes, Da cor dos olhos do mar. Me encantei no sereno das ondas. Nasci Maracaninha... Do sonho de menina e de ostras pequenas. Sou pássaro e ostra.

Meninas Voadoiras

Chão-limite Pra elas pousarem Depois de voarem Por cima das casas e medos Avançando por Nuvens imaginárias De algodão e lágrimas Derramadas sobre a terra Emergindo o aroma Doce-fruta de mata. Meninas