Buscar

Catavento (Jaciara Mendes)

Hélice de catavento assobia o tempo ou simplesmente se mantém inerte, à espera do sopro que a faça mover. Pás giratórias não impõem resistência à tempestade ou brisa, em silêncio anseiam partir de minha janela, voar pelo espaço, mudar de ares, bancar avião... Para onde desejas ir, velho amigo de infância? Desejas seguir pelo horizonte, ir ao infinito e nunca mais voltar?... Mas me diz bom amigo, poderia eu ir para onde você for?

Posts recentes

Ver tudo

Mários (Aline Bischoff)

Em homenagem a Mário de Andrade e Mario Quintana Eram dois Mários, Mas pareciam ser vários. Ambos, extraordinários! Dois grandes visionários De inconfundíveis imaginários. Da poesia, virtuosos funcion

Alucinação (Alessandra Barcelar)

- Esquizofrenia - disse o psiquiatra - Na verdade o caso mais célebre dessa clínica. - Se refere à essa criança? Parece-me tão inocente. - Creia-me, não é! Assassinou a avó brutalmente com um machado.

Sinto muito (Yuri Nunes)

Sem alguma maldade, Intenção de machucar... Nada além da verdade. Tudo vai passar?! Onerosa solução. Misto de fica... e vai Um pesado coração. Intensa dor em si. Tempo para curar; Olhar pra frente e s