Buscar

Ciência Exata


3,54% morrerão

apenas

0,33% serão chorados

58,65%

festejados

falecerão

39,33547%

nos leitos lotados

dos hospitais

37,495%

enterrados sem lágrimas

relembrados

em fotos digitais,

13,43%

abandonados


agonizarão nas esquinas

num aquário vazio

o ar tardio

38,87%

apodrecerão em dados

rigorosamente científicos


fedendo fendendo

absurdos abismos.

Também morrerão:

87, 1254671954832% de minha mãe

79,24458988741543% da mulher que amo

91,33333333333333% de meus filhos

e pagarei com a dízima

o dízimo devido à dor

desses, do que faltar para os 100%

33,4% serão memórias

66,6% (mísera cabala) vagas imagens

dos corpos

nas covas solitárias


súbito, num susto no átimo de 0,000000001% de um segundo verei


no sinal

%


per

cen

tual


o símbolo sinistro

o signo do silêncio

de uma forca

onde meu corpo

balançará ao vento

21,5454789%

do tempo.

Em 100% do Nada



Lúcio Autran



Do livro A DEMÊNCIA DO TEMPO - Poesia para não enlouquecer ou manual de sobrevivência- um diário poético da quarentena sob o signo de um Poder demente - em andamento


Visite: http://lucioautran.blogspot.com.br/ Visite e curta: https://www.facebook.com/lucioautranfragmentosexiliovoluntario/


Posts recentes

Ver tudo

Devolvo à natureza um sorriso tímido

Devolvo à natureza um sorriso tímido A cada manhã que acordo, mesmo que barulhenta << Às vezes, preferivelmente barulhenta>> Por sentir-me parte de algo maior, Por respirar tão fundo, calmamente enche

Maracaninha Encantada

Na beira da praia apresento minhas penas. Elas são verdes, Da cor dos olhos do mar. Me encantei no sereno das ondas. Nasci Maracaninha... Do sonho de menina e de ostras pequenas. Sou pássaro e ostra.

Meninas Voadoiras

Chão-limite Pra elas pousarem Depois de voarem Por cima das casas e medos Avançando por Nuvens imaginárias De algodão e lágrimas Derramadas sobre a terra Emergindo o aroma Doce-fruta de mata. Meninas