Buscar

Desfragmentos de mim

Queria dizer assim – Me belisca!...

É um sonho, preciso logo acordar.

Quero olhar como quem pisca...

e voltar do sonho com alma mística.

Mas as palavras me fogem, ariscas...

e não arrisco esse despertar.

Queria dizer trisca em mim, trisca...

mas nada me leva a morder a isca.

Sei que feliz ou infeliz , sigo à risca...

Hei de decifrar esse enigma milenar:

Um sonho dentro do sonho confisca

outro sonho... e sonha outra logística

Minha mão cede às palavras, e só rabisca

que o sonho há de ser como o navegar,

que leva acenos a quem um doce petisca,

e segue sem volta, a vida toda heurística.

A minha voz ecoa e segue sarcástica,

a me dizer sem pena – Sonhe o sonhar,

nada há de superar uma veia artística...

e a parte e o todo em atitude holística.

Então a vida me flerta, acena-me turística,

como um passeio exitoso, mais que salutar...

Encontro neste sonho uma outra linguística,

uma epifania às avessas, plena, humanística!...


Celso Lopes

Posts recentes

Ver tudo

Liberdade

Lutando contra as forças Internas e externas, Buscando a felicidade Em todo canto e em cada fresta. Relevante sensação; De fato, relativa. Angústia presente Diversas vezes Escondida. Yuri Nunes Instag

Personificação

Teresa revoluciona ao sentir os gestos que suspendem dizeres e abraçar é uma ação no microcosmo dessa suspensão. Depois iremos forçar os limites da linguagem, escrever para confirmar existências e por

Globalização do amor

Amar na ausência, como se presente fosse, Como se tão perto estivesse, Globalização do amor. Corações planejam a presença, Dia a dia, raras, mas de tanto valor. Encontros que de tão intensos, Marcam,

© Copyright