Buscar

Dor de mim (Marco Aurélio Pasquin)

Tens de mim piedade, não levo a maldade como ruína sobre mim

Fui cego, maltratado com rancor da vida reprimida, que só pode ser vivida quando abandonei as vontades de curar as dores causadas pelas mazelas as quais cismei de inventar.

Posts recentes

Ver tudo

Porto seguro

Vem despejar teus lamentos, lamúrias, infortúnios. Te sustento com palavras, abraços e ternuras. Somos uma só desgraça a rezar por bênçãos vindouras. Quisera sempre estar ao alcance de tuas mãos nessa

Momento existencial (Aline Bischoff)

O real atual: Digital quântico O virtual O material material X O antigo real: Orgânico Presencial O imaterial material

Dúvidas (Yuri Nunes)

Difícil imaginar Uma vida sem você Vendo você voar, Insisto em te dizer: Dói te ver partir, Abraçar, me despedir... Soltar quem eu quero aqui.