Buscar

Folha em Branco

Todo homem é poeta, acontece que a poesia é nada. Antes keep walking, tênis Nike, carro amarelo, iate, um teco - se pá dois e a noite entra com tudo.

Todo homem é poeta, acontece que tem sempre uma HK no meio, mas é no meio da entrevista que o cara da biqueira pergunta se pode cantar o seu poema.

Todo homem é poeta, acontece que às vezes estupram, fodem com a rima e os três filhos.

Todo homem é poeta, acontece que a geladeira tá vazia e o seguro desemprego não assegura o pé roxo da mãe diabética.

Todo homem é poeta, acontece que o professor disse:

- Com esse gorro na cabeça você parece um bandido! E o poeta nunca mais foi à escola.

Todo homem é poeta, mas hoje o poeta espancou a mulher, depois arrumou briga no bar do seu Hamilton e morreu esfaqueado.

Todo homem é poeta, acontece que alguns já nascem com certidão de óbito.

Temos agora um corpo morto exposto no meio do bar, cheiro de aguardente e sangue. O poeta atravanca a livre circulação, segue sendo um estorvo - mas podia ser pior...

Caído na vala, quebraram as pernas do poeta para fazê-lo caber num carrinho de mão, de cimento e lixo. Com a última pá de abandono, enterramos assim a vida do poeta que não pôde começar.

Vandia Leal (Colaboradora Oficial do Escrita Cafeína)

Posts recentes

Ver tudo

O bêbado no cais

Em cada despertar um olhar estático em direção ao horizonte Morre o velho nasce o novo e dispôs-se a recordar Infante, clemente, nem tanto incandescente a vela acesa no altar Foge de mim esperança ao

Rota para a luz

Rota para a luz, A tua ténue paixão, Rosto que me seduz, Quando me dás a tua mão. O meu acreditar conduz, Todo os meus desejos e coração. Nem o passar do tempo reduz, Esse sentimento de emoção. O amor

Lua de marfim

Te contemplo no céu, Te admiro por sob o mar, Deixo guiar-me pelo seu véu, Misterioso clarão do Luar! Oh! Lua de marfim! Tem pena! Tem pena de mim! És minha saga, Beijo o chão, Por onde vaga O teu cla