Maresia

A dança das águas,

Observo, reflito.

Às vezes maresia,

Com dias calmos, olhares fixos, palavras doces.

Às vezes ondas;

Das gigantes fujo, raramente enfrento,

Jogando-me ao mar para acalmar as ondas.

Não lutar, apenas mergulhar,

De frente, fechar os olhos e

Abrir-se ao outro, saborear o momento,

Deixar-se envolver plenamente,

A agitação passa, a vida é assim.



Sérgio Ricardo de Carvalho


https://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/publicacoes/index.php https://www.agbook.com.br/book/332434--Poesias_Biblicas_dos_Salmos https://www.agbook.com.br/book/332213--Poesias_Biblicas_do_Evangelho_de_Joao_e_Apocalipse https://clubedeautores.com.br/livro/poesia-para-apaixonados https://www.facebook.com/notes/academia-virtual-dos-poetas-da-lingua-portuguesa/quadro-de-acad%C3%AAmicos-da-avplp-/1931430710296465/


Posts recentes

Ver tudo

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário: