Mulher-Menina

Naquele momento, ao se olhar no espelho, Felícia era a antítese de seu próprio nome. Chorava desesperada no vestido branco de seu casamento iminente. Sentia falta das bonecas com as quais brincava. Sua infância se desfazia como o rímel a escorrer. Seu corpo franzino, infantil tinha apenas 11 anos.

Posts recentes

Ver tudo

Chegam caminhando, Devagarzinho... Veem se aproximando, De fininho... Se aconchegando De mansinho... Quando vejo já estou rimando E com todo carinho, Novos poemas abraçando!

Vida e morte costumavam ter uma relação amorosa. Elas se amavam tanto que adotaram um animal de estimação. No entanto, um dia elas tiveram uma briga, e desde então, disputam-se a custódia desse animal

Sem poesia na alma, Embarco na nau da utopia; Nem amanhã, nem outrora, Hoje não é todo dia.

Deixe seu comentário: