Buscar

O mar (Eduarda Espínola)

Apoiada na amurada,

Observo as águas seguirem seu caminho

E triste, me pergunto,

Onde estará o meu e quando irei segui-lo

Para que finalmente,

Eu possa mais do que observar as águas

Posts recentes

Ver tudo

Horizontes

Os horizontes pasmados em que me perco se entrelaçam em quimeras de promessas em que me adenso.

AHN? (Rafael Silva)

O garoto resolveu dormir cedo. Amanheceu em outro mundo: havia perdido o jornal da noite.

Tsun-ame (Priscila Guimarães)

Navegar pelo movimento das ondas que quebram espumando amor. Velejar com a jangada que guia para as profundezas da emoção. Um amor navegador, flutuante na maré salgada que adoça os lábios e acalma o c