Buscar

Ode às quartas-feiras

Quarta-feira

desde sempre meu dia preferido

quando tudo parece ser possível

It’s wednesday morning and she’s leaving home

baricentro da semana, ponto perfeito entre o início e o fim

águas correram, mas o rio ainda não desembocou

muito se fez, muito se fará

as pessoas anseiam a (sex)ta, eu anseio a calma que a qu(ar)ta trás

despertam em mim o equilíbrio

a simetria e o alinhamento das metas passadas com as metas futuras

um ponto de encontro entre o pretérito e o porvir

onde o presente ressurge para rememorar a sua placidez

transluz os desejos utópicos em êxtase concreto

as sensações vêm em câmera lenta

o arrebatamento parece nunca ir embora

e ao final de uma quarta,

a vida vale a pena


Sara Costa

https://saracosta00.medium.com/

Posts recentes

Ver tudo

O bêbado no cais

Em cada despertar um olhar estático em direção ao horizonte Morre o velho nasce o novo e dispôs-se a recordar Infante, clemente, nem tanto incandescente a vela acesa no altar Foge de mim esperança ao

Rota para a luz

Rota para a luz, A tua ténue paixão, Rosto que me seduz, Quando me dás a tua mão. O meu acreditar conduz, Todo os meus desejos e coração. Nem o passar do tempo reduz, Esse sentimento de emoção. O amor

Lua de marfim

Te contemplo no céu, Te admiro por sob o mar, Deixo guiar-me pelo seu véu, Misterioso clarão do Luar! Oh! Lua de marfim! Tem pena! Tem pena de mim! És minha saga, Beijo o chão, Por onde vaga O teu cla