top of page

Ode às quartas-feiras

Quarta-feira

desde sempre meu dia preferido

quando tudo parece ser possível

It’s wednesday morning and she’s leaving home

baricentro da semana, ponto perfeito entre o início e o fim

águas correram, mas o rio ainda não desembocou

muito se fez, muito se fará

as pessoas anseiam a (sex)ta, eu anseio a calma que a qu(ar)ta trás

despertam em mim o equilíbrio

a simetria e o alinhamento das metas passadas com as metas futuras

um ponto de encontro entre o pretérito e o porvir

onde o presente ressurge para rememorar a sua placidez

transluz os desejos utópicos em êxtase concreto

as sensações vêm em câmera lenta

o arrebatamento parece nunca ir embora

e ao final de uma quarta,

a vida vale a pena


Sara Costa


Posts recentes

Ver tudo

Cavaleiro Negro (Aline Bischoff)

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Brinquedos (Alessandra Barcelar)

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Múltiplas (Valéria Pisauro)

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

コメント


Deixe seu comentário:
bottom of page