Buscar
  • Carine Mendes

Ondulações

Num momento acidental incidimos precipitadamente. Como duas ondas paralelas que se avistam de longe e realizam, existindo, o paradoxo de encontrarem-se como fruto da mesma água e, ainda assim, permanecerem em desencontro. Se da mesma água surgimos haveríamos pela mesma força de nos reunirmos entre tantas ondulações. Deu-se, por fim, essa junção, há muito improvável e ao mesmo tempo predestinada. O tempo tem dessas artimanhas, gosta de ser senhor da vida e acontecer a modo imprevisto. O que acontece na junção de águas que percorreram caminhos diferentes para se encontrar é atemporal, urgente e impreciso. Diluem-se os espaços e os contornos. Ultrapassa-se o tempo do destino e destinos se subjugam aos instantes infindáveis de transbordamento. Dessa mistura que se alastra nova onda de sentidos e um sentir que faz volume, espuma e impulso. Mesma onda agora inteira a quebrar e se refazer na borda da vida. Num momento preciso nos unimos incontornavelmente.

Posts recentes

Ver tudo

Café com verso

Se num instante contigo imagino Um encontro inusitado, eu confesso Que o universo como um abrigo amigo Nos recepciona em café com verso Ocasião remota surpresa Imensidão em ter um momento Para se cont

O melhor café do mundo

Nada parecia abalar a simplicidade daquela manhã. E da força ancestral do barro que emprestava ao velho fogão. O vento soprava sem pressa, a lenha crepitava cantando E as labaredas exibiam a inconfund

Cacoema

Precisa alcunha me deram Chamam-me boca do inferno Um inclemente juiz Sem capa, toga e terno. Se me encontrares no espelho Não te assalte o medo De ver-te como a mim veem Para a alegria de todos Sou u