Buscar

Por amor ou Justiça (Bloco II)



BLOCO II

CENA 7: DELEGACIA – RECEPÇÃO – INT/NOITE


CENAS DE POLICIAIS ENTRANDO COM DETIDOS. PESSOAS CONVERSANDO COM O POLICIAL DO BALCÃO.

CORTA

CENA 8: DELEGACIA – SALA DO DELEGADO – INT/NOITE

SENTADO EM SUA CADEIRA, LUCAS CONVERSA COM UM MEMBRO DE SUA EQUIPE QUANDO O TELEFONE SOA, O MESMO TERMINA DE DAR SUAS INSTRUÇÕES E ATENDE O INSISTENTE APARELHO.

LUCAS (enfático)


Várias vezes falei para não entrarem nas provocações do Cebolão e do Verruga. Esses bêbados só querem um teto para dormir sossegados, sem que lhes roubem as tralhas e a comida quentinha. A próxima vez que me vier com esse papo de desacato à autoridade, eu mando você, para o xilindró!... Estamos entendidos?! Agora sai daqui e me deixa trabalhar... Caio?!... Não, Aninha não me falou nada... Mas, não sei se posso ir buscá-la no trabalho... Urgente?... Tudo bem! Eu... Alô! Alô!... Juro que não entendi.

DESLIGA O APARELHO E FICA PENSATIVO.

CENA 9: RUA DESERTA – EXT/NOITE

DEMONSTRANDO PREOCUPAÇÃO E UM POUCO DE MEDO, ANINHA E MAURO CAMINHAM A PASSOS LARGOS PARA ATRAVESSAREM, A RUA ESTÁ TOTALMENTE DESERTA E COM POUCA LUMINOSIDADE.

MAURO (apreensivo)


Já disse que não sei qual o recado que o Lucas deixou!

ANINHA (com medo, fita os lados)


Por que será que estava tão ansioso para falar comigo? Isso me deixa preocupada. Espero que não tenha acontecido nada.... Não foi uma boa ideia pegarmos esse ônibus! Deveríamos ter esperado o que para no ponto a duas quadras da sua casa.

MAURO


Vamos chegar meia hora mais cedo!

PERCEBE QUE A AMIGA PAROU DE SÚBITO E PRESTA ATENÇÃO.

MAURO (assustado)


O que foi?...

OLHA PARA A DIREÇÃO EM QUE A PÁLIDA AMIGA ESTÁ OLHANDO, AO VER OS MOTOQUEIROS À SUA FRENTE, SEGURA NA MÃO DE ANINHA E TENCIONA CORRER PARA O LADO CONTRÁRIO, CONTUDO, PERCEBE QUE JÁ ESTÃO CERCADOS POR 4 MOTOQUEIROS.

MAURO


Minha nossa!

MOTOQUEIRO (irritado)


Droga!!

APROXIMA-SE DA ASSUSTADA ANINHA COM SUA MOTOCICLETA BARULHENTA. DEPOIS DESCE DA MOTO E LOGO EMPUNHA UM PUNHAL QUE PUXA DA CINTURA.

MOTOQUEIRO


É melhor correr moça... Vai!!

ANINHA (trêmula)


Vem Mauro!

PUXA NO BRAÇO DO AMIGO, CONTUDO, O MOTOQUEIRO PUXA-A E A ENCARA.

ANINHA (muito assustada)


Me larga!!

MOTOQUEIRO


Só você pode ir.

MAURO (furioso)


Deixa ela seu desgraçado!...

EMPURRA AO MOTOQUEIRO QUE ESTÁ COM UM ESTRANHO PUNHAL DE DUAS PONTAS NA MÃO, O QUAL, NUM RÁPIDO MOVIMENTO PERFURA SEU PEITO.

MAURO (assustado, desfalecendo)


Não... Deus!... Fuja Aninha.

ANINHA (grita)


Mauro... Me larga!!!

TENCIONA APROXIMAR-SE DO MESMO, MAS É DETIDA PELO MOTOQUEIRO, QUE ASSUSTADO, PUXA-A, ABRAÇA-A. O MESMO OLHA PARA SEUS COMPARSAS QUE OBSERVAM MAURO NO CHÃO JÁ IMÓVEL. ANINHA TENTA LIVRAR-SE DE SUAS MÃOS.

MOTOQUEIRO


Fique quieta.. Esse babaca! Será que não sabia que é perigoso se atirar em cima de alguém armado...

REX (entusiasmado)


Bastou um golpe... É maior, Batman Boy!

MOTOQUEIRO (disfarça o nervosismo)


Apenas um...

SOLTA A CHOROSA ANINHA PARALISADA, DE OLHAR FIXO NO AMIGO ESTENDIDO NO CHÃO. O MOTOQUEIRO, FITA OS COMPARSAS QUE OBSERVAM-NO.

MOTOQUEIRO (confuso)


Ele quem quis!... Isso não teria acontecido se tivesse ficado na dele.

BOCÃO (rindo)


He! Apagou o otário... Ele está morto!

MOTOQUEIRO


Não viemos aqui para isso, mas já que ele deu um de valente...

LULA (com medo)


O punhal deve ter atingido o coração.

ANINHA (assustada)


Desgraçados! Mataram o Mauro... Vocês são assassinos! Assassinos! Assassinos!

NERVOSA, CONFUSA, ELA GRITA PARA OS MARGINAIS. PONDO-SE FACE-A-FACE COM CADA UM DELES.

REX (furioso)


Cala a boca sua vadia!

PUXA UM PUNHAL E AO SE APROXIMAR DA ASSUSTADA ANINHA, EMPURRA-A CONTRA UM AUTOMÓVEL QUE ESTÁ ESTACIONADO. ANINHA BATE VIOLENTAMENTE A CABEÇA E AS COSTAS, SE CONTORCE DE DOR E, TONTA, FIXA O OLHAR NA LÂMINA DA ARMA DO RAPAZ QUE, COMO OS OUTROS, TEM O ROSTO COBERTO POR UMA MÁSCARA.

REX


É melhor acabar com ela também...

INVESTE CONTRA A MESMA COM O PUNHAL QUE TEM EM MÃOS. CONTUDO, RAPIDAMENTE, O MOTOQUEIRO QUE ATACOU MAURO EMPURRA-O E O PUNHAL QUE ATINGIRIA O PEITO DE ANINHA, ATINGE SEU OMBRO ESQUERDO.

MOTOQUEIRO (furioso)


Desgraçado!

AMPARA ANINHA QUE LENTAMENTE VAI AO CHÃO. ENCARANDO REX COM ÓDIO, QUE FICA CONFUSO COM A REAÇÃO DO COMPARSA.

MOTOQUEIRO (furioso)


Não deveria ter machucado ela, Rex!... Não viemos aqui para matar o cara, foi um acidente!...

OUVE O BARULHO DA SIRENE DE UMA VIATURA QUE SE APROXIMA. OS MOTOQUEIROS, COM EXCEÇÃO DO QUE AMPARA ANINHA, SAEM CORRENDO. CONTUDO, BOCÃO GRITA ANTES DE SAIR.

BOCÃO


É a polícia! Vamos dar o fora...

MOTOQUEIRO


Aninha!

RETIRA A MÁSCARA E DEIXA COM QUE ELA O VEJA. ANINHA PERCEBE TRATAR-SE DE SEU IRMÃO E SUSSURRA ANTES DE PERDER OS SENTIDOS.

ANINHA (surpresa)


Caio.

CAIO (assustado)


Eu não queria!... Aguente. Não morra!

CAIO CHORA. AO VER A VIATURA APROXIMAR-SE, RETIRA-SE.

CORTA

CENA 10: APARTAMENTO DE ROSANA – QUARTO ANINHA – INT/DIA

EM CENA ANINHA ESTÁ DEITADA NA CAMA, PENSATIVA, TRISTE, EM ESTADO DE CHOQUE. LUCAS ESTÁ NUM CANTO, OBSERVANDO ANINHA; DEMONSTRA ESTAR COM RAIVA. ROSANA, EnQUANTO ACARINHA A FILHA, CHORA NERVOSA, AINDA ABALADA PELO QUE ACONTECEU.

ROSANA


Não gosto nem de pensar no que poderia ter acontecido se não tivessem socorrido Aninha a tempo. Ela perdeu muito sangue! O punhal atingiu uma artéria. Graças a Deus conseguiram conter a hemorragia... Acho que ela vai precisar de ajuda para superar esse trauma.

LUCAS (furioso, revoltado)


Se eu puser minhas mãos neles... Juro que mato!

ROSANA (triste)


Isso não irá remediar toda essa desgraça. Não vale à pena sujar suas mãos!... A nossa união. O amor que sente por minha filha, a harmonia e a paz que reinam nesta família é o que vai fazer Aninha superar tudo isso...

ACARINHA A FILHA QUE PARECE ALHEIA AO QUE FALAM.

ROSANA


Precisava ter visto o estado do Caio! Ele ficou tão abalado que nem teve coragem de ir ao hospital fazer uma visita... Ele ama muito a irmã!

ANINHA, REPENTINAMENTE FICA UM POUCO INQUIETA. ROSANA ARRUMA OS LENÇÓIS, TRAVESSEIRO E ALMOFADAS PARA UMA MELHOR COMODIDADE DA FILHA QUE SE MOSTRA ASSUSTADA.

ROSANA (afável)


Tem que descansar filha, acaba de chegar do hospital.

CAIO APROXIMA-SE SORRATEIRAMENTE DA PORTA E ESTENDE O PACOTE QUE TEM EM MÃOS PARA A MÃE. ANINHA FICA MAIS AGITADA.

CAIO


Aqui estão os remédios, mamãe.

ANINHA (assustada)


Não!...

ROSANA VAI RECEBER O PACOTE QUE CAIO LHE ESTENDE E O PÕE SOBRE O CRIADO-MUDO QUE ESTÁ AO LADO DA CAMA DE ANINHA. PREOCUPADO E COMPADECIDO COM O SOFRIMENTO DE ANINHA, LUCAS SE APROXIMA E ACARICIA SUA FACE, BEIJA-A DELICADAMENTE.

LUCAS


Sua mãe está certa! Precisa descansar, meu amor... Enquanto isso, vou à delegacia. Juro que esses desgraçados vão pagar!!

ANINHA


Não vá! Por favor...

AGARRA A MANGA DA JAQUETA DO MESMO E, AO PERCEBER OS OLHARES DE CAIO QUE MANTEVE-SE PRÓXIMO À PORTA, NÃO CONSEGUE CONTROLAR O MEDO, O NERVOSISMO. LUCAS PERCEBE OS OLHARES ENTRE ANINHA E CAIO E O APARENTE NERVOSISMO EM SUAS EXPRESSÕES. LUCAS FICA UM POUCO CONFUSO, CISMADO.

LUCAS (cismado)


Nossa! Está tremendo, meu amor... Tudo bem! Acalme-se, vou ficar com você.

ROSANA (compadecida)


O que fizeram com minha filha?...

FITA CAIO À ESPREITA NA PORTA.

ROSANA


Ela precisa de todos nós! Temos que ajudá-la a superar isso... Já que estão aqui fazendo companhia à Aninha, vou comprar alguns legumes para fazer uma boa sopa. Ela precisa se alimentar para recuperar as forças.

ROSANA RETIRA-SE APÓS BEIJAR A FILHA. CAIO, SEM MAIS CONSEGUIR CONTER O DESEJO, LOGO SE APROXIMA.

CAIO (aflito, ansioso)


Aninha...

ANINHA (com medo)


Sai daqui! Vai embora...

ELA SUSSURRA E BUSCA OS BRAÇOS DO CONFUSO LUCAS QUE LOGO AMPARA-A. ANINHA FOGE DO OLHAR DE CAIO. ELE TENCIONA TOCÁ-LA, MAS ELA SE ESQUIVA.

CAIO


Só quero saber se está bem maninha!... Por favor, fala comigo... Tem que me perdoar!!

ATORDOADO, TRISTE E CONFUSO, CAIO SE RETIRA.

LUCAS


Aninha: se estiver com raiva do seu irmão por causa do recado... Ele ligou para mim e falou que você queria que eu fosse lhe buscar, só que houve uma ocorrência. Tentei lhe avisar mas...

FICA COMPADECIDO COM O PRANTO DE ANINHA QUE DEMONSTRA MUITA TRISTEZA E MEDO.

LUCAS


Se existe algum culpado, sou eu... Por favor, não chore.

CORTA

CENA 11: APARTAMENTO DE ROSANA – SALA DE ESTAR – INT/DIA

EM CENA ESTÃO ANINHA E MARIA, AMBAS SENTADAS NO SOFÁ. MARIA, CARINHOSA, SEGURA A MÃO DA AMIGA QUE EVITA LHE OLHAR NOS OLHOS. MARIA, APESAR DE ABATIDA, TRISTE, EXPÕE UM MEIGO E AFÁVEL SORRISO, NA ESPERANÇA DE ANIMAR ANINHA.

MARIA


Vim assim que soube que tinha chegado do hospital. Mamãe vinha, mas ela decidiu não deixar meu pai sozinho... Não está sendo fácil, Aninha! Meu pai está muito deprimido. Vive sentado no sofá, dizendo que vai esperar o meu irmão para dar uma bronca por ele ter viajado sem avisar...

CONSEGUE CONTER O PRANTO, MAS NÃO CONSEGUE ESCONDER A INDIGNAÇÃO E REVOLTA.

MARIA


Não é justo! O Mauro era o alicerce da nossa família, desde que meu pai sofreu aquele derrame e ficou impossibilitado de trabalhar. Meu irmão assumiu todas as responsabilidades da casa...

ERGUE-SE E SE AFASTA UM POUCO. ENXUGA AS LÁGRIMAS. VAI OLHAR A RUA ATRAVÉS DA JANELA, ENQUANTO ANINHA PASSA A OBSERVÁ-LA. ANINHA À MEDIDA QUE OUVE O DESABAFO DA AMIGA, CHORA.

MARIA (revoltada)


Meu irmão foi assassinado! Está debaixo de sete palmos de terra, enquanto seus assassinos estão livres, impunes... Me sinto culpada... Ele não devia ter ido tentar descobrir quem eram esses marginais! Principalmente tentar se infiltrar nesse meio sujo. Eu sabia que desse jeito tudo iria parar nos ouvidos desses Morcegos!... Meu irmão...

VOLTA O OLHAR PARA ANINHA QUE CHORA COMPULSIVAMENTE, AFLITA, ASSUSTADA. MARIA LOGO SE APROXIMA ARREPENDIDA E TENTA CONSOLAR A AMIGA.

MARIA


Aninha... Deus, como sou estúpida! Eu não deveria estar falando isso com você... deve estar sofrendo muito... Dona Rosana!!

GRITA, CHAMANDO ROSANA QUE VEM CORRENDO E AO VER O ESTADO DA FILHA SE APROXIMA E ABRAÇA A FILHA.

ROSANA


Filha!... O que está sentindo?

MARIA (arrependida)


A culpa é minha! Comecei a desabafar e... Me perdoa, Aninha...

ANINHA (sussurra)


A culpa não é sua.

ROSANA (compadecida, revoltada)


Não se preocupe, Maria. Ela está muito sensível! Tem chorado muito nos últimos quatro dias... Se existem culpados, são esses marginais chamados Morcegos. Eles que causaram essa desgraça... Gostaria de ver todos eles apodrecerem na cadeia!

CORTA

CENA 12: APARTAMENTO DE ROSANA – QUARTO ANINHA – INT/NOITE

EM CENA ANINHA ESTÁ SENTADA NA CAMA, TOMANDO ÁGUA. MARIA, ASSUSTADA, ESTÁ SENTADA NUMA POLTRONA NUM CANTO. ROSANA ESTÁ SENTADA NA CAMA E ABRAÇANDO A FILHA. CAIO ANDA DE UM LADO PARA OUTRO, APARENTEMENTE IRRITADO COM A PRESENÇA DE MARIA E COM O ASSUNTO ABORDADO.

CAIO (irritado)


Não deveria vir aqui para falar do que aconteceu com seu irmão!... Aninha tem que esquecer um pouco esse assunto. Será que não percebe que ela está muito abalada?

ANINHA (furiosa)


Cala a boca!

PARA DE TOMAR ÁGUA, ENTREGA O COPO À ROSANA E OLHA FURIOSA PARA O IRMÃO, QUE FICA ASSUSTADO COM SUA REAÇÃO.

MARIA (nervosa)


Bem, não tinha a intenção de prejudicar Aninha. Ela é minha melhor amiga! Já pedi desculpas e... É melhor ir embora.

ANINHA (frágil)


Não! Eu não quero que vá embora Maria...

ROSANA (autoritária)


Está sendo mal-educado, Caio!... Não ligue Maria, o problema é que ele está muito preocupado com a irmã, com o estado de saúde dela e...

ANINHA (confusa)


Ele está preocupado com o que eu posso fazer e não com o que pode me acontecer...

ROSANA


Não estou entendendo. Está sendo injusta com seu irmão! O que ele fez para pensar isso dele?

CAIO OLHA ASSUSTADO PARA ANINHA E FITA A CONFUSA ROSANA QUANDO LUCAS ENTRA EM CENA. ANINHA RAPIDAMENTE VAI AO ENCONTRO DELE, BUSCANDO SEU ABRAÇO. LUCAS A ACOLHE COM CARINHO.

LUCAS


Boa noite.

ANINHA (frágil)


Lucas!... Não deveria ter demorado tanto.

MARIA (ansiosa)


Alguma novidade no caso?

LUCAS


Estou convocando as vitimas dos Morcegos para depor novamente. Quero ter certeza de que nenhum detalhe passou despercebido...

LUCAS FAZ ANINHA CONTEMPLÁ-LO. BEIJA-A CARINHOSAMENTE.

LUCAS


Brevemente terá que ir depor também, meu amor. É a única testemunha de um assalto onde, infelizmente, houve uma morte. Vamos capturar esses marginais e exigir justiça... A morte do Mauro não vai ficar impune!

MARIA (sensibilizada)


Irei sem hesitar!... Talvez o erro do Mauro foi se envolver com marginais para descobrir alguma coisa, foi desafiar os Morcegos. Mas, infelizmente não há como remediar... Por favor Lucas, ponha esses assassinos atrás das grades!

LUCAS


Não se preocupe... Estamos unindo o pessoal do vigésimo D. P. com o nosso e as investigações serão intensificadas. Além do mais, já temos algumas informações valiosas: descobrimos que aquele marginal que foi espancado e teve o estômago perfurado pelo estranho punhal de duas pontas, é um tal de Rex e, segundo vítimas que ouviram conversas entre os Morcegos. Ele é um deles! Não se sabe porque ele foi punido!...

EM UM MOMENTO OU OUTRO ANINHA FITA CAIO, CONTUDO, FICA CHOCADA AO OUVIR AQUELAS INFORMAÇÕES E CAIO MUITO NERVOSO COM SUA REAÇÃO.

LUCAS (entusiasmado)

]

Mas, tudo indica que foi espancado pelo resto da gangue e que levou a punhalada do líder. Porque essa arma pertence ao Batman Boy, segundo depoimentos... O desgraçado que certamente assassinou o Mauro!... O estado do Rex é grave e, além dele correr risco de vida, parece que o coma é irreversível.

ANINHA (desfalecendo)


Monstro!

ROSANA


Minha filha!

LUCAS IMPEDE QUE ANINHA VÁ AO CHÃO ANTES QUE ELA DESMAIE.

CORTA

CENA 13: APARTAMENTO DE ROSANA – QUARTO ANINHA – INT/NOITE

EM CENA ANINHA ESTÁ DEITADA, RECOSTADA NO TÓRAX DE LUCAS. ANINHA LEVANTA-SE E CONFUSA, UM POUCO DESNORTEADA, VAI PARA UM CANTO DO QUARTO.

LUCAS (carinhoso)


Sou um estúpido, insensível... Não devia ter falado daqueles marginais, do que eles fizeram. Me perdoe!

ANINHA (nervosa)


Não quero mais falar sobre esse assunto!... A mamãe deveria ter cancelado essa reunião de pais e mestres... Tente me compreender Lucas, mas... gostaria de ficar sozinha um pouco.

LUCAS


Eu compreendo, meu amor!... Sei que o fato de ter visto seu melhor amigo ser assassinado mexeu muito com você. Mas, tem que tentar superar... Qualquer coisa estarei na delegacia.

LUCAS SE LEVANTA, BEIJA ANINHA QUE RETRIBUI O GESTO. ELE SE RETIRA, ESQUECENDO A JAQUETA SOBRE A CAMA. ANINHA NÃO CONSEGUE MAIS CONTER O PRANTO E EXTERNA SUA AFLIÇÃO, ANGUSTIADA.

ANINHA (chorando)


Deus... O que faço?!

CAIO


Aninha!...

CAIO ENTRA RAPIDAMENTE NO QUARTO, APÓS CERTIFICAR-SE DA SAÍDA DE LUCAS. ANINHA AFASTA-SE ASSUSTADA.

CAIO (ansioso)


O que aconteceu com o Mauro foi um acidente!...

LUCAS VOLTA E PARA DIANTE DA PORTA QUE ESTÁ ENTREABERTA, ANINHA E CAIO NÃO PERCEBEM QUE ELE OUVE A CONVERSA. CAIO, UMA VEZ OU OUTRA TENTA SE APROXIMAR DE ANINHA, MAS ELA SE ESQUIVA.

CAIO (aflito)


Eu não tinha a intenção. E, só queria dar uma lição no Rex por ele ter machucado você... Mas, o resto da galera também não gostou da atitude dele e... Por favor, não tenha medo de mim!

ANINHA (indignada)


Que tipo de mostro você é? O que foi que lhe faltou?... Tem que pagar pelo que fez, tem que ser enjaulado porque é um animal!

CAIO


Não pode entregar seu único irmão para a polícia... Enfiei aquele punhal no peito do Mauro sem querer, sabe disso!... Não faça intencionalmente o mesmo com a mamãe. Não pode! Não vai fazer isso...

SEGURA A IRMÃ PELOS BRAÇOS E TENTA FAZÊ-LA ENCARÁ-LO.

ANINHA TENTA LIBERTAR-SE.

LUCAS ENTRA FURIOSO, LIBERTA A NOIVA , SEGURA NA GOLA DA CAMISA DE CAIO E DÁ UM SOCO EM SEU ESTÔMAGO QUE, ATORDOADO, SAI CORRENDO DO QUARTO. ANINHA SE INTERPÕE EM SEU CAMINHO E ELE A AGARRA.

ANINHA (assustada)


Me larga! Está me machucando.

LUCAS (esbraveja)


Larga ela seu marginal! Então é você o líder dos Morcegos!... Foi por isso que as investigações não devam resultado... Marginal, assassino!

Jaciara Mendes

Colaboradora Oficial do Escrita Cafeína


Instagram: @jaciaramendes.escritora