top of page

Transformações

Desatento desejo e os livros espalhados pelo chão. Quem arruma a vida? Rompemos com o silêncio e ganhamos em avanço amoroso, agora já podemos nos enfrentar sem medo. Nascem do desaparecimento novas formas de encontro, da cova ressurge a expressão que marca sorriso.

A loucura de comer os olhos corta criativas carnes e penso em cartas para resgatar palavras, para repousar os carimbos burocratas, para dizer que é possível tocar com as pausas dos abraços e nos salvar de alguns naufrágios.


Vandia Leal


Texto retirado do livro In-quietudes de Vandia Leal. Padê Editorial - Cole-sã escrevivências, n. 13.

Posts recentes

Ver tudo

Cavaleiro Negro (Aline Bischoff)

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Brinquedos (Alessandra Barcelar)

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Múltiplas (Valéria Pisauro)

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Comments


Deixe seu comentário:
bottom of page