Buscar

Um tuberculoso no século XIX

Sacode ao ser uma tosse constante;

O corpo, a febre o enche de calor.

Carnes míseras, notório palor,

Face entristecida, olhar não brilhante.

O sangue, na doença degradante,

Foge; desaparece tal humor

Por saliva rubra, a que tem sabor

De morte; o cheiro é de fim não distante.

O corpo fino e de grave cansaço,

Apesar de tudo, guarda a alma, ainda;

Porém o suco da vida..., bagaço!

Cada tosse fermenta a angústia infinda;

À mente domina a loucura de aço.

Cisma ele: “A vida devia ser linda!”.


Cleiton Alves

Posts recentes

Ver tudo

Liberdade

Lutando contra as forças Internas e externas, Buscando a felicidade Em todo canto e em cada fresta. Relevante sensação; De fato, relativa. Angústia presente Diversas vezes Escondida. Yuri Nunes Instag

Personificação

Teresa revoluciona ao sentir os gestos que suspendem dizeres e abraçar é uma ação no microcosmo dessa suspensão. Depois iremos forçar os limites da linguagem, escrever para confirmar existências e por

Globalização do amor

Amar na ausência, como se presente fosse, Como se tão perto estivesse, Globalização do amor. Corações planejam a presença, Dia a dia, raras, mas de tanto valor. Encontros que de tão intensos, Marcam,

© Copyright