A dimensão imagética da poesia

Pode ser que borremos as imagens ao tentar explicá-las. Palavras são menos profundas que imagens. Elas embotam a visão. Foi o que disse Manoel de Barros. Ela sabia que a função da poesia é fazer sonhar, Reconciliar a pessoa com o sagrado. E descobrir nos trapos novos tropos para narrar. O trabalho do poeta é criar imagens que já não se usam mais. E reinventar aquilo que foi jogado no lixo. É por isso que sempre me visto com os desusos da gramática. Queria uma Gramática Encantada desenhada pelos sonhos dos desimportantes da Lavagem. E talvez a poesia pudesse ter uma cor que nunca teve. A cor da gente negra, pobre e nordestina. A cor que faz o infinito suspirar.


Marcos Andrade Alves dos Santos

Posts recentes

Ver tudo

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário: