A vida é feita de trocas

Quando nasci, minha única posse era um pequeno pássaro branco, que eu levava sobre a cabeça. Ele me mostrou mil portas e janelas, em jardins e em palácios, de madeira e de ouro, a leste e a oeste. Era-me o melhor amigo. Levava-me voando para trás do horizonte e me mostrava o avesso das auroras.

No entanto, logo alcancei os quinze anos de existência, um anjo triste me procurou com a oferta de uma estrela de sangue. Em troca, queria meu passarinho. E o teve. Mas foi à luz dessa estrela que semeei as mais belas flores, as mais incendiárias heras. Foram-me os anos mais férteis, mais sábios, insanos.

Enfim alcancei os dezoito, e em seguida um lugar na Universidade. Na livraria do campus, busquei o volume sugerido por uma professora. E o encontrei. Mas o preço foi minha estrela, pela qual obtive o livro de Cálculo. De brinde, ganhei um maço de cinzas, que levei no peito, a ocupar o aposento recém esvaziado.


Pedro Guerra Demingos

Posts recentes

Ver tudo

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário: