Buscar

Ah meu senhor, que saudades!

Ah meu senhor, que saudades! Um tanto de teimoso que sou Me dá uma vontade De correr desenfreado, Alcançar o João do tempo, Pra dar um abraço tão apertado Até tirar-lhe o juízo e voar desembestado. Ah meu senhor, que saudades! Que me abre o peito E me dói de um jeito Que meu coração padece, Pede ar emprestado E já esfalfado, grita desamparado Por falta da bem amada Que de longe também não aguenta E se pendura aos pés do telefone pedindo

-

Por favor, traz pra mais perto

um pouquinho daquele

por quem meu coração disparou!


Mas meu senhor, que saudades! E como se não bastasse, Não tem band-aid que segure, Nem remédio que cure A não ser o calor do afago Me ajeitando e com sorriso largo Nos abraços do meu amor.

Posts recentes

Ver tudo

Café

O aroma das manhãs; Expresso Para o primeiro convite; Capuccino Para fortalecer as amizades; Frappe Depois de um amor gostoso; Duplo Debaixo do cobertor acompanhados de um livro; Mocha Fortalecendo os

Por mais Acrósticos

A palavra Amarrotada, Amarrada Cerrada, Cicatrizada, Concluída Rasga-se, Refaz-se, Reproduz-se, Recompõe-se, Recria-se no acróstico. Obliterada, Olvida, Oculta Secreta, Sagrada Transgride, Transver e

Mundo Qualquer

Tenho achado que já não sou firme o bastante pra amolecer se quiser Para rabiscar num papel e ir-me às linhas e achar-me em um mundo qualquer Tenho notado que já sei demais e não sei mais esquecer se