Buscar

Carta aos pedagogos

A você, doador de sangue.

Que acredita nos pequenos inícios.

E se esmera nos processos, e vê ao longe

E no agora a colheita.

E vê perenidade na intermitência.


Você, alma grávida:

Beija-flor levando água

Para apagar o incêndio

Que na floresta dos homens grassa;

Salmão contra a corredeira,

Remando movido duma pulsão

Maior que seu pequeno corpo, urdida chama,

Flama & frêmito da expansão que o Conhecimento

- Este agridoce tutor - exige daqueles

Que o portam não na tumba cerebral,

Mas na cardíaca fornalha.


Guardião do Palácio de Tudo,

Cidadão matricial, apaziguador das gerações:

Nós te celebramos.


Sammis Reachers

Posts recentes

Ver tudo

O bêbado no cais

Em cada despertar um olhar estático em direção ao horizonte Morre o velho nasce o novo e dispôs-se a recordar Infante, clemente, nem tanto incandescente a vela acesa no altar Foge de mim esperança ao

Rota para a luz

Rota para a luz, A tua ténue paixão, Rosto que me seduz, Quando me dás a tua mão. O meu acreditar conduz, Todo os meus desejos e coração. Nem o passar do tempo reduz, Esse sentimento de emoção. O amor

Lua de marfim

Te contemplo no céu, Te admiro por sob o mar, Deixo guiar-me pelo seu véu, Misterioso clarão do Luar! Oh! Lua de marfim! Tem pena! Tem pena de mim! És minha saga, Beijo o chão, Por onde vaga O teu cla