Carta aos pedagogos

A você, doador de sangue.

Que acredita nos pequenos inícios.

E se esmera nos processos, e vê ao longe

E no agora a colheita.

E vê perenidade na intermitência.


Você, alma grávida:

Beija-flor levando água

Para apagar o incêndio

Que na floresta dos homens grassa;

Salmão contra a corredeira,

Remando movido duma pulsão

Maior que seu pequeno corpo, urdida chama,

Flama & frêmito da expansão que o Conhecimento

- Este agridoce tutor - exige daqueles

Que o portam não na tumba cerebral,

Mas na cardíaca fornalha.


Guardião do Palácio de Tudo,

Cidadão matricial, apaziguador das gerações:

Nós te celebramos.


Sammis Reachers

Posts recentes

Ver tudo

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário: