Buscar

Das coisas imutáveis, ser mãe

Há coisas na vida imutáveis, ser mãe, eis uma delas! No segundo do " positivo" era pra sempre. Eu agradeço todos os dias a filha maravilhosa que tenho, doce, tagarela e com uma percepção fantástica das coisas ao redor. Pirracenta e danada também! Ufa! Que bom! Ela é criança! Que no auge dos seus quase 8 anos, solta: mãe, vc é minha melhor amiga...

Aí pensa e diz: mas na escola é Ana tá bom?!

Trazer uma pessoa ao mundo é mágico! Mas adaptar essa pessoa a esse mundo em que estamos vivendo, é ter que fazer de fato, mágica todos os dias, para não perder o encanto, pra ter noção de realidade, mas sonhar mesmo assim, e é o que desejo pra minha Alice, que seu mundo seja sempre das maravilhas, apesar de. Que seus desejos pro gênio da lâmpada sejam sempre simples, e que ela descubra que dentre esses desejos ela pode pedir o direito a mais 3 e assim sucessivamente. Que o resto ela vá atrás, que além, muito além de 2 mais 2, ela saiba que essa conta, volta e meia pode dar 5, 6...

Das coisas imutáveis, essa é sem dúvidas a que mais me mudou, e que bom!

Ser mãe é se colocar à prova todos os dias, o mundo nos julga, as pessoas criticam algumas posturas, mas acreditem, a prova maior somos nós que nos impomos. Nos culpamos por absolutamente tudo o que acontece com nossos filhos, mesmo racionalmente sabendo que às vezes  não somos culpadas, mas parece que é uma das coisas do manual de mãe, manual este, que não existe palpável, a gente escreve todos os dias, vivendo.

Sabe a conversa de " criamos os filhos pro mundo?" Balela!!!! Nós mães é que tentamos nos convencer disso todos os dias. Criamos nossos filhos esperando que o mundo os aceite, a luta é justamente ensiná-los a aceitar o mundo.



Por Aline Pedrosa

Posts recentes

Ver tudo

Devolvo à natureza um sorriso tímido

Devolvo à natureza um sorriso tímido A cada manhã que acordo, mesmo que barulhenta << Às vezes, preferivelmente barulhenta>> Por sentir-me parte de algo maior, Por respirar tão fundo, calmamente enche

Maracaninha Encantada

Na beira da praia apresento minhas penas. Elas são verdes, Da cor dos olhos do mar. Me encantei no sereno das ondas. Nasci Maracaninha... Do sonho de menina e de ostras pequenas. Sou pássaro e ostra.

Meninas Voadoiras

Chão-limite Pra elas pousarem Depois de voarem Por cima das casas e medos Avançando por Nuvens imaginárias De algodão e lágrimas Derramadas sobre a terra Emergindo o aroma Doce-fruta de mata. Meninas