Buscar
  • Carine Mendes

Entre nós e maresia

Éramos 12. Perambulantes. Numa mistura que nos dava coesão. Andávamos como só naquela época podíamos, despreocupados e com todo o tempo a nosso dispor. Adolescentes, jovens, amigos. Éramos um. Grupo sem rumo, ou melhor, o rumo era estarmos juntos em caminhos, becos, vielas, areia que nos conectasse e levasse os diferentes passos a qualquer ponto em comum. Ríamos juntos, uns dos outros, dos outros. Chorávamos pelas

hoje banalidades, outrora catástrofes. Bebíamos em celebração e havia realmente o que celebrar, afinal de contas éramos 12. O vinho em comunhão a circular por todos nós, ébrios, comediantes por ocasião, eternos efêmeros. Independentes não éramos, mas em nossa frágil dependência da vida nos uníamos em semelhança. Parávamos extasiados, contemplativos à beira mar. A escutar os segredos de tantos jovens que pelas mesmas areias passaram e ainda hão de passar. O segredo era nosso e um só. Éramos todos um momento no intervalo curto de cada caminho, a nos cruzarmos, desfazendo-nos aos poucos em maresia...



Carine Mendes

Posts recentes

Ver tudo

O bêbado no cais

Em cada despertar um olhar estático em direção ao horizonte Morre o velho nasce o novo e dispôs-se a recordar Infante, clemente, nem tanto incandescente a vela acesa no altar Foge de mim esperança ao

Rota para a luz

Rota para a luz, A tua ténue paixão, Rosto que me seduz, Quando me dás a tua mão. O meu acreditar conduz, Todo os meus desejos e coração. Nem o passar do tempo reduz, Esse sentimento de emoção. O amor

Lua de marfim

Te contemplo no céu, Te admiro por sob o mar, Deixo guiar-me pelo seu véu, Misterioso clarão do Luar! Oh! Lua de marfim! Tem pena! Tem pena de mim! És minha saga, Beijo o chão, Por onde vaga O teu cla