top of page

Globalização do amor

Amar na ausência, como se presente fosse,

Como se tão perto estivesse,

Globalização do amor.

Corações planejam a presença,

Dia a dia, raras, mas de tanto valor.

Encontros que de tão intensos,

Marcam, fortalecem, por pouco não enlouquecem,

Tantos desejos,

Tão pouco tempo, mas há tempo para aqueles que amam?

O tempo para, o momento o eterniza,

Cada toque, uma mensagem de amor,

Transformada em teclas que destilam saudades,

Cada olhar, que penetra a alma,

Transforma-se em fotos de desejos distantes,

Mas que sabem irão se realizar.

Amar a distância,

Possível amar?

Presença cobrada, saudades dobrada,

A cada encontro, retorna-se ao nada,

Procura- se então a pessoa amada

Paixão aumentada, solidão vem , toma conta de nós,

Olhares se cruzam em telas, imagens,

brotando saudades dos toques suaves,

De beijos tão quentes,

De nossa forma de amar.

Que telas não permitem, mas o amor insiste,

A esperança fortalece,

De novo o coração aquece,

Reencontro...ah!, este sim me enlouquece!


Sérgio Ricardo de Carvalho

Posts recentes

Ver tudo

Cavaleiro Negro (Aline Bischoff)

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Brinquedos (Alessandra Barcelar)

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Múltiplas (Valéria Pisauro)

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário:
bottom of page