Globalização do amor

Amar na ausência, como se presente fosse,

Como se tão perto estivesse,

Globalização do amor.

Corações planejam a presença,

Dia a dia, raras, mas de tanto valor.

Encontros que de tão intensos,

Marcam, fortalecem, por pouco não enlouquecem,

Tantos desejos,

Tão pouco tempo, mas há tempo para aqueles que amam?

O tempo para, o momento o eterniza,

Cada toque, uma mensagem de amor,

Transformada em teclas que destilam saudades,

Cada olhar, que penetra a alma,

Transforma-se em fotos de desejos distantes,

Mas que sabem irão se realizar.

Amar a distância,

Possível amar?

Presença cobrada, saudades dobrada,

A cada encontro, retorna-se ao nada,

Procura- se então a pessoa amada

Paixão aumentada, solidão vem , toma conta de nós,

Olhares se cruzam em telas, imagens,

brotando saudades dos toques suaves,

De beijos tão quentes,

De nossa forma de amar.

Que telas não permitem, mas o amor insiste,

A esperança fortalece,

De novo o coração aquece,

Reencontro...ah!, este sim me enlouquece!


Sérgio Ricardo de Carvalho

Posts recentes

Ver tudo

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário: