Buscar

Impasse

Disseste que te cativo?

Ora, pois trago comigo

Todas as dores do mundo

Olhai lá no fundo

Desse coração

Quê vês agora

Diferente de outrora?

Ai... as feridas abertas?

Não pergunte se dói

Decerto me corrói

Então, liberta-me

Deixa-me voar

Ou apenas te olhar

Se te cativo... destranca!

Abre essa porta

Nessa hora morta!

Onde trago comigo

Todas as dores do mundo

Se me cativas

És um bem querer

Ora... se te deixares partir

Que farei sem teu sorrir

Nas minhas manhãs frias?

Pois não trago comigo

Um porto...um abrigo

Então...que farei?

Talvez enlouqueça

E até perca a cabeça

E tu... olhastes bem

Neste coração?

Veja sua aflição:

Não posso ser

O que tenho vontade

Nem pela metade

Se me cativas

Sentirei teu perfume

Como de costume

Se me cativas

Por que dói?


Júnior Régis

Posts recentes

Ver tudo

Devolvo à natureza um sorriso tímido

Devolvo à natureza um sorriso tímido A cada manhã que acordo, mesmo que barulhenta << Às vezes, preferivelmente barulhenta>> Por sentir-me parte de algo maior, Por respirar tão fundo, calmamente enche

Maracaninha Encantada

Na beira da praia apresento minhas penas. Elas são verdes, Da cor dos olhos do mar. Me encantei no sereno das ondas. Nasci Maracaninha... Do sonho de menina e de ostras pequenas. Sou pássaro e ostra.

Meninas Voadoiras

Chão-limite Pra elas pousarem Depois de voarem Por cima das casas e medos Avançando por Nuvens imaginárias De algodão e lágrimas Derramadas sobre a terra Emergindo o aroma Doce-fruta de mata. Meninas