Buscar

Janela

Me lembro da velha janela,

que fiz companheira de infância,

me recordo diariamente das flores amarelas,

que caíam sobre o chão.

O verde sempre me trazia esperanças,

o amarelo, me recordava as estrelas.

Dentro de mim mora o menino,

que fui na infância, outra parte

o homem que solta as palavras

que me tornei.

A janela me faz um retrato,

é o passar dos anos que foi capturado,

sou uma câmera de fotografias

guardo fotos lindas do passado,

registro sempre as do presente,

escrevendo isso, não sei o que irei ver ...

no futuro.

Duvido do que verei, mas sorrio ao imaginar.

Talvez o retrato que preciso fazer hoje,

seja o das minhas palavras,

que a janela do tempo,

me faz escrever.


Por Leonardo Melo

Posts recentes

Ver tudo

O bêbado no cais

Em cada despertar um olhar estático em direção ao horizonte Morre o velho nasce o novo e dispôs-se a recordar Infante, clemente, nem tanto incandescente a vela acesa no altar Foge de mim esperança ao

Rota para a luz

Rota para a luz, A tua ténue paixão, Rosto que me seduz, Quando me dás a tua mão. O meu acreditar conduz, Todo os meus desejos e coração. Nem o passar do tempo reduz, Esse sentimento de emoção. O amor

Lua de marfim

Te contemplo no céu, Te admiro por sob o mar, Deixo guiar-me pelo seu véu, Misterioso clarão do Luar! Oh! Lua de marfim! Tem pena! Tem pena de mim! És minha saga, Beijo o chão, Por onde vaga O teu cla