Buscar

Janela

Me lembro da velha janela,

que fiz companheira de infância,

me recordo diariamente das flores amarelas,

que caíam sobre o chão.

O verde sempre me trazia esperanças,

o amarelo, me recordava as estrelas.

Dentro de mim mora o menino,

que fui na infância, outra parte

o homem que solta as palavras

que me tornei.

A janela me faz um retrato,

é o passar dos anos que foi capturado,

sou uma câmera de fotografias

guardo fotos lindas do passado,

registro sempre as do presente,

escrevendo isso, não sei o que irei ver ...

no futuro.

Duvido do que verei, mas sorrio ao imaginar.

Talvez o retrato que preciso fazer hoje,

seja o das minhas palavras,

que a janela do tempo,

me faz escrever.


Por Leonardo Melo

Posts recentes

Ver tudo

Devolvo à natureza um sorriso tímido

Devolvo à natureza um sorriso tímido A cada manhã que acordo, mesmo que barulhenta << Às vezes, preferivelmente barulhenta>> Por sentir-me parte de algo maior, Por respirar tão fundo, calmamente enche

Maracaninha Encantada

Na beira da praia apresento minhas penas. Elas são verdes, Da cor dos olhos do mar. Me encantei no sereno das ondas. Nasci Maracaninha... Do sonho de menina e de ostras pequenas. Sou pássaro e ostra.

Meninas Voadoiras

Chão-limite Pra elas pousarem Depois de voarem Por cima das casas e medos Avançando por Nuvens imaginárias De algodão e lágrimas Derramadas sobre a terra Emergindo o aroma Doce-fruta de mata. Meninas