Janela

Me lembro da velha janela,

que fiz companheira de infância,

me recordo diariamente das flores amarelas,

que caíam sobre o chão.

O verde sempre me trazia esperanças,

o amarelo, me recordava as estrelas.

Dentro de mim mora o menino,

que fui na infância, outra parte

o homem que solta as palavras

que me tornei.

A janela me faz um retrato,

é o passar dos anos que foi capturado,

sou uma câmera de fotografias

guardo fotos lindas do passado,

registro sempre as do presente,

escrevendo isso, não sei o que irei ver ...

no futuro.

Duvido do que verei, mas sorrio ao imaginar.

Talvez o retrato que preciso fazer hoje,

seja o das minhas palavras,

que a janela do tempo,

me faz escrever.


Por Leonardo Melo

Posts recentes

Ver tudo

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário: