Buscar

Janela

Me lembro da velha janela,

que fiz companheira de infância,

me recordo diariamente das flores amarelas,

que caíam sobre o chão.

O verde sempre me trazia esperanças,

o amarelo, me recordava as estrelas.

Dentro de mim mora o menino,

que fui na infância, outra parte

o homem que solta as palavras

que me tornei.

A janela me faz um retrato,

é o passar dos anos que foi capturado,

sou uma câmera de fotografias

guardo fotos lindas do passado,

registro sempre as do presente,

escrevendo isso, não sei o que irei ver ...

no futuro.

Duvido do que verei, mas sorrio ao imaginar.

Talvez o retrato que preciso fazer hoje,

seja o das minhas palavras,

que a janela do tempo,

me faz escrever.


Por Leonardo Melo

Posts recentes

Ver tudo

Café com verso

Se num instante contigo imagino Um encontro inusitado, eu confesso Que o universo como um abrigo amigo Nos recepciona em café com verso Ocasião remota surpresa Imensidão em ter um momento Para se cont

O melhor café do mundo

Nada parecia abalar a simplicidade daquela manhã. E da força ancestral do barro que emprestava ao velho fogão. O vento soprava sem pressa, a lenha crepitava cantando E as labaredas exibiam a inconfund

Cacoema

Precisa alcunha me deram Chamam-me boca do inferno Um inclemente juiz Sem capa, toga e terno. Se me encontrares no espelho Não te assalte o medo De ver-te como a mim veem Para a alegria de todos Sou u