Buscar
  • Carine Mendes

Mãe - Palavra

O desafio era escrever sobre mãe e nos pomos quase automaticamente a fantasiar, cheios de orgulhos e pieguices, sobre as mães maravilhosas e em como traduzi-las em palavras. Afinal de contas estamos aqui a tratar da produção da vida em textos, sob vários formatos. Decidi, no entanto, fazer o oposto, ao invés de enaltecer esta figura ideal e idealizada, destaco apenas a palavra manifesta que a nomeia, numa folha que de resto permanece em branco. Não me tomem por ingrata, eu posso dizer com toda certeza que tenho uma mãe maravilhosa a celebrar neste dia. Porém, aqui neste espaço, não posso e não quero falar só em meu nome, ainda que não possa me destituir identitariamente do ato de escrever. Posso e devo refletir, por meio desta escrita, sobre as pessoas que não tem alguém a encarnar esta palavra, ou ainda, as pessoas cujas mães nunca representaram referências associativas benéficas. Devemos lembrar que uma mãe, seja ela quem for, é antes de tudo um ser humano, ambíguo, contraditório e passível de falha. Pois bem, deixo então aos leitores, e não à minha escrita, a tarefa de produzir associações em cima da palavra mãe, cheia, vazia ou suficiente dependendo de quem a lê. Reconheço, por fim, o estatuto das palavras vivas e que não cessam de ecoar, mãe...

Posts recentes

Ver tudo

Café com verso

Se num instante contigo imagino Um encontro inusitado, eu confesso Que o universo como um abrigo amigo Nos recepciona em café com verso Ocasião remota surpresa Imensidão em ter um momento Para se cont

O melhor café do mundo

Nada parecia abalar a simplicidade daquela manhã. E da força ancestral do barro que emprestava ao velho fogão. O vento soprava sem pressa, a lenha crepitava cantando E as labaredas exibiam a inconfund

Cacoema

Precisa alcunha me deram Chamam-me boca do inferno Um inclemente juiz Sem capa, toga e terno. Se me encontrares no espelho Não te assalte o medo De ver-te como a mim veem Para a alegria de todos Sou u