Multifaces

Não deixar de falar, expor, se mediar Conseguir ser ímpeto, sem temor Conquistar vitórias, sem dor Descobrir o novo, sem críticas Fazer da diferença, a saída para o que pode ser igual Achar que quase tudo é normal. Observar o canto, a arte, sem insensibilidade Curtindo o que o abstrato diz Para de ensinamentos, inventos, volta a ser aprendiz E no final, me diz A porcentagem do teu valor, pois já não sou a tua bússola Cansei de ser a intrusa de um corpo sem essência,

que apela sem decência

que preencham o que a genética lhe esvaziou. Começa pelo menor e tenta enxergar o maior, quando teus passos forem firmes Quando não houver mais o calibre de tanta sabedoria Concretiza o que de maior te sustenta para que volte a prender a fenda Que um dia você soltou. E sem mais conselhos, falo erguendo os joelhos que por um instante me apoiou Para que pudesse te olhar de frente, e agradecer verbalmente Pelo desprezo que hoje te dou Resultado da dor – sensível àqueles destinados, carma para os desacreditados Pena que tenha aprendido pela estrada mais sólida A verdade que estava atrás da porta e você deixou escapar Só espero que cuide de tratar com cuidado Ah, busque no armário, o que você precisa Para cicatrizar as feridas que você desprezou E que se abria a cada deslize, naquela crise que hoje nos derrubou Mas de uma coisa tenho certeza, Saio com delicadeza e sem ressentimento Não deixando o meu momento dissipar, vou viver e respirar A brisa que me convida, para ser feliz e digna de libertar.



Por Bianca Morais

Posts recentes

Ver tudo

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário: