Buscar

O cuidado no cotidiano da pandemia



Em tempos de pandemia, cuja maior recomendação dada pelas autoridades sanitárias é para que fiquemos em nossas casas, discutir sobre o cuidar de si tornou-se uma das maiores preocupações, especialmente pelo advento da prática de trabalhar em casa e do maior tempo de convivência com nossos entes queridos.

Essa nova rotina começa a modificar o cotidiano, em alguns casos, antecipando algumas mudanças que estavam, até então, sem ser notadas. Entre as mudanças, uma que se destacou era a tendência crescente ao trabalho em casa, o famoso “home office”. A transmissão crescente da Covid-19 aliada à incerteza e insegurança para garantir a saúde dos trabalhadores, acabou impulsionando esse processo. Aproveitando-se do acesso à internet, os empregados passaram a desempenhar as suas atividades no lar, garantindo a sua segurança e saindo somente quando necessário.

Nesse sentido, observam-se o crescimento das chamadas de vídeos. Apesar de ser um item já conhecido na atualidade, elas cresceram muito durante esse período de isolamento, aumentando a sua demanda em mais de 70%. Os motivos para tal crescimento são justificados por razões que remetem desde ao diálogo com amigos isolados e familiares distantes até aulas e reuniões de trabalho. Todavia, a distância acabou abrindo caminho para o uso da criatividade, como a organização de festas de crianças de maneira remota, a partir do uso de aplicativos de reuniões como o Zoom e o Hangout[1]. Nesse sentido, a tecnologia atuou como uma aliada, amenizando a distância e ampliando o sentimento de solidariedade e parceria entre as pessoas.[2]

Outra mudança advinda desses novos tempos remete à maneira como lidamos com a nossa própria saúde. Com o fechamento de bares e restaurantes, a maioria das nossas refeições passaram a ser feitas em nossos lares, preparadas por nós. Isso gera outras preocupações relativas à maneira como preparamos os nossos alimentos, como os conservamos e quantas porções preparamos. Tais ações, além de garantir uma boa alimentação, também gera um melhor aproveitamento e menor desperdício dos suprimentos, além de integrar a família nessa nova rotina.

Ainda na esteira da saúde, observam-se também mudanças na prática de exercícios. Com o fechamento de academias e a restrição ao uso de praças e praias, lugares comuns para se exercitar, exercitar-se passou a ser uma atividade a ser praticada dentro de nossos lares. Uma das consequências disso foi o desânimo de algumas pessoas que pararam com suas malhações semanais, já que não podiam ter acesso ao seu local para exercícios. Contudo, outras pessoas seguiram com seus exercícios, seja recebendo os exercícios via mensagem por seus treinadores, seja se espelhando em aulas disponíveis em sites de academias, com vídeos de professores mostrando os exercícios praticados, algo também adotado por alguns clubes de futebol, como uma forma para monitorar e preparar os seus atletas[3].

Apontam-se também os cuidados com nossos pares nesse contexto de isolamento. Nesse caso, trata-se de dar atenção às minúcias que circundam as nossas rotinas, que vão desde o auxílio a um familiar para limpar a casa, fazer uma transferência bancária, colocar um desenho para seu filho assistir pela trigésima vez só para vê-lo sorrir, separar um espaço livre para assistir a um filme, entre outras. São maneiras de prover o cuidado e ser cuidado em atos que nem sempre observamos, mas que se desdobram no cotidiano de nossas rotinas, cultivando lembranças para quando tudo isso terminar.

Apesar de não ser um tema novo, a discussão sobre o cuidado segue um tema bastante relevante. A necessidade do isolamento e do distanciamento social diante de um inimigo invisível, possibilitou às pessoas a criação de novos maneiras de trabalho, exercícios e alimentação, dando uma atenção maior àqueles que estão próximos, mas sem esquecer daqueles ao seu redor e das dificuldades que possuem. A atenção, outrora direcionada para fora, para as perspectivas do meio social e dos ambientes que frequentamos, volta os olhares para dentro para as pessoas com quem convivemos e dos hábitos que temos para manter a nossa saúde como um todo. Em tempos de crise, a dimensão do cuidado ganha um novo sentido, com a noção de que é preciso se recolher, nos fortalecer, antes de voltar a rotina, algo que acontecerá na medida em que todos forem vacinados. Até lá, que sigamos nos cuidando.



Miguel Barros


Referências:


[1] Aniversário na quarentena com festa virtual para as crianças https://cultura.estadao.com.br/blogs/divirta-se/aniversario-na-quarentena-com-festa-virtual-para-as-criancas/ [2] Uso de plataformas de chamada de vídeo têm aumento de 70% durante a pandemia. https://www.portalmultiplix.com/noticias/ciencia-tecnologia/uso-de-plataformas-de-chamadas-de-video-tem-aumento-de-70-durante-a-pandemia [3] Fluminense mostra treino por videoconferência e Odair manda recado. “Trabalho que dá orgulho” https://globoesporte.globo.com/futebol/times/fluminense/noticia/confira-imagens-do-treinamento-por-videoconferencia-dos-jogadores-do-fluminense.ghtml

Posts recentes

Ver tudo