O sonho

Eu não consigo caber em tudo.

Escrevo como um exercício de liberdade.

Escrevo para sonhar de novo.

A força do mistério me encanta.

Rabisco letras como o menino experimenta passos.

E arrisco cair.

Eu não consigo caber em todo canto, só me interessa conversar em língua de ave.

Quero despertar o sol com gorjeios.

Quero me sentar com uma velha na beirada da tarde e ninar seus silêncios.

Quero conhecer como uma velha ainda sonha...

Porque os sonhos de uma velha são coisas para as quais não se tem mais tempo.

Não consigo caber em tudo.

Mas eu queria ser sonhado por uma velha...


Marcos Andrade

Posts recentes

Ver tudo

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário: