Buscar

Obscuro domínio


Amar-te assim desvelado Lábio mordido na luz. Praia estendida ao Sol Na areia do ventre olvido.

Fogo-fátuo de desejo Feroz, barco louco. Onomatopeia teu corpo Tenaz do meu viver.

Sorriso vertendo vida Teu abraço desertor. Mãos que tocam o infinito No alcance vasto do imediato.

Beijo que é noite escura No dia que ali amanhece Intemporal, estático, Que o Amor um dia finda.

De novo, o teu toque: Lua sonhada sibilante Mordendo o céu límpido Da tua boca que apetece.

Movimento que não pára O começo que não termina.

Ser teu mais uma e outra vez,

Ser rio que em ti deságua .…


Bruno de Sousa

Posts recentes

Ver tudo

Liberdade

Lutando contra as forças Internas e externas, Buscando a felicidade Em todo canto e em cada fresta. Relevante sensação; De fato, relativa. Angústia presente Diversas vezes Escondida. Yuri Nunes Instag

Personificação

Teresa revoluciona ao sentir os gestos que suspendem dizeres e abraçar é uma ação no microcosmo dessa suspensão. Depois iremos forçar os limites da linguagem, escrever para confirmar existências e por

Globalização do amor

Amar na ausência, como se presente fosse, Como se tão perto estivesse, Globalização do amor. Corações planejam a presença, Dia a dia, raras, mas de tanto valor. Encontros que de tão intensos, Marcam,

© Copyright