Buscar

Perdura

Teus olhos envoltos por um passado obscuro e

por muitas vezes luminoso. Rugas e manchas na

pele que rasga as marcações temporais.

O quintal aberto ao sol das horas da infância,

encantado e disposto.

Contigo descobri os retornos,

por mais que me desesperasse nas partidas.

A menina dos teus olhos apreendia o amor,

a fertilidade da formação dos vínculos,

erva-doce a perfumar a casa café.


Por Vandia Leal


Poema retirado da obra In-quietudes (Padê Editorial - Cole-sã Escrevecências)

http://pade.lgbt/loja/vandia-leal-in-quietudes/

Posts recentes

Ver tudo

Café com verso

Se num instante contigo imagino Um encontro inusitado, eu confesso Que o universo como um abrigo amigo Nos recepciona em café com verso Ocasião remota surpresa Imensidão em ter um momento Para se cont

O melhor café do mundo

Nada parecia abalar a simplicidade daquela manhã. E da força ancestral do barro que emprestava ao velho fogão. O vento soprava sem pressa, a lenha crepitava cantando E as labaredas exibiam a inconfund

Cacoema

Precisa alcunha me deram Chamam-me boca do inferno Um inclemente juiz Sem capa, toga e terno. Se me encontrares no espelho Não te assalte o medo De ver-te como a mim veem Para a alegria de todos Sou u