Buscar

Perdura

Teus olhos envoltos por um passado obscuro e

por muitas vezes luminoso. Rugas e manchas na

pele que rasga as marcações temporais.

O quintal aberto ao sol das horas da infância,

encantado e disposto.

Contigo descobri os retornos,

por mais que me desesperasse nas partidas.

A menina dos teus olhos apreendia o amor,

a fertilidade da formação dos vínculos,

erva-doce a perfumar a casa café.


Por Vandia Leal


Poema retirado da obra In-quietudes (Padê Editorial - Cole-sã Escrevecências)

http://pade.lgbt/loja/vandia-leal-in-quietudes/

Posts recentes

Ver tudo

Devolvo à natureza um sorriso tímido

Devolvo à natureza um sorriso tímido A cada manhã que acordo, mesmo que barulhenta << Às vezes, preferivelmente barulhenta>> Por sentir-me parte de algo maior, Por respirar tão fundo, calmamente enche

Maracaninha Encantada

Na beira da praia apresento minhas penas. Elas são verdes, Da cor dos olhos do mar. Me encantei no sereno das ondas. Nasci Maracaninha... Do sonho de menina e de ostras pequenas. Sou pássaro e ostra.

Meninas Voadoiras

Chão-limite Pra elas pousarem Depois de voarem Por cima das casas e medos Avançando por Nuvens imaginárias De algodão e lágrimas Derramadas sobre a terra Emergindo o aroma Doce-fruta de mata. Meninas