top of page

Poesia póstuma (Jaciara Mendes)

A passos em um caminho que um dia me levou, eu regressava. Reconheci minhas pegadas no chão de terra batida, cobertas pela poeira do tempo, ora nítidas, ora incertas, elas me fizeram refletir sobre as certezas, anseios e dúvidas que em minha bagagem interior eu carregava. Mas não desisti...Percebi que eram a ausência do abraço, dos braços que um dia me acalentaram, a certeza da proteção e as telas em branco de um futuro longe que me assustavam. Então prossegui. E agora, a cada passo firme de meu regresso, indiferente às minhas perdas ou conquistas por onde andei, eu voltei! Hoje, tenho o prazer e o orgulho de ter encontrado e conhecido a mim mesma.

Posts recentes

Ver tudo

Mulher-Menina

Naquele momento, ao se olhar no espelho, Felícia era a antítese de seu próprio nome. Chorava desesperada no vestido branco de seu casamento iminente. Sentia falta das bonecas com as quais brincava. Su

Estratégia das Rimas (Aline Bischoff)

Chegam caminhando, Devagarzinho... Veem se aproximando, De fininho... Se aconchegando De mansinho... Quando vejo já estou rimando E com todo carinho, Novos poemas abraçando!

Duelo (Alessandra Barcelar)

Vida e morte costumavam ter uma relação amorosa. Elas se amavam tanto que adotaram um animal de estimação. No entanto, um dia elas tiveram uma briga, e desde então, disputam-se a custódia desse animal

コメント


Deixe seu comentário:
bottom of page