Sopro

Só um sopro

Uma vida que se esvai em um minuto, um segundo

O tempo que se desfaz num instante

Um nó único que não cabe num piscar

Só um sopro

Os passos que agora não mais ecoam

Nem deixam marcas

Os suspiros inaudíveis que emergem nas lembranças

Só um sopro

As lendas contadas por gerações

O passado em diálogo com o futuro

A garantia do ciclo do tempo

Só um sopro

O som daquela música que a memória esquece

Aos poucos, o sucesso de hoje torna-se peça de museu

O jovem torna-se idoso a ver novas bandas surgirem

Só um sopro

A história escrita no papel

O legado passado do avô pro neto

O fim que engendra novos começos

Só um sopro…


Miguel Barros

Posts recentes

Ver tudo

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário: