Buscar

Vicissitudes

É preciso articular essa tristeza em rima,

Antes que já não me reste mais o que dizer,

Tanta coisa se atropela, fica fácil de esquecer,

Aquilo que o tempo não mostra, a solidão ensina.


Anoto as velhas frases soltas e desisto como antes,

Já não sei me completar com poesia ou com canção

E me derramo pelas noites, pra encobrir a sensação

De que nada aqui me move, nada me leva adiante.


De mim restou apenas o desejo da mudança

E o mal cortado, na raiz destas virtudes,

Sei que sou difícil, mas nutria a esperança

Que a vida me sorriria nas demais vicissitudes.


Mas não há nem mesmo a mão dos companheiros de outrora,

Já não há o riso e o amor, que marcaram a juventude.

Foram tantos desacertos que minaram minha glória,

Que já nem me reconheço na minha própria incompletude.


Matheus Oliveira

Posts recentes

Ver tudo

O bêbado no cais

Em cada despertar um olhar estático em direção ao horizonte Morre o velho nasce o novo e dispôs-se a recordar Infante, clemente, nem tanto incandescente a vela acesa no altar Foge de mim esperança ao

Rota para a luz

Rota para a luz, A tua ténue paixão, Rosto que me seduz, Quando me dás a tua mão. O meu acreditar conduz, Todo os meus desejos e coração. Nem o passar do tempo reduz, Esse sentimento de emoção. O amor

Lua de marfim

Te contemplo no céu, Te admiro por sob o mar, Deixo guiar-me pelo seu véu, Misterioso clarão do Luar! Oh! Lua de marfim! Tem pena! Tem pena de mim! És minha saga, Beijo o chão, Por onde vaga O teu cla