top of page

Vicissitudes

É preciso articular essa tristeza em rima,

Antes que já não me reste mais o que dizer,

Tanta coisa se atropela, fica fácil de esquecer,

Aquilo que o tempo não mostra, a solidão ensina.


Anoto as velhas frases soltas e desisto como antes,

Já não sei me completar com poesia ou com canção

E me derramo pelas noites, pra encobrir a sensação

De que nada aqui me move, nada me leva adiante.


De mim restou apenas o desejo da mudança

E o mal cortado, na raiz destas virtudes,

Sei que sou difícil, mas nutria a esperança

Que a vida me sorriria nas demais vicissitudes.


Mas não há nem mesmo a mão dos companheiros de outrora,

Já não há o riso e o amor, que marcaram a juventude.

Foram tantos desacertos que minaram minha glória,

Que já nem me reconheço na minha própria incompletude.


Matheus Oliveira

Posts recentes

Ver tudo

Cavaleiro Negro (Aline Bischoff)

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Brinquedos (Alessandra Barcelar)

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Múltiplas (Valéria Pisauro)

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Comments


Deixe seu comentário:
bottom of page