Buscar

Os estilhaços

No chão jogados

Cortantes sob os pés

Descalços

De tantos percalços

Construídos

Recolhidos

Inatos

Ingratos

De sentimentos

Forçados

Desesperança

De cacos que

Já não se colam

Pontiagudos

Sons agudos

Tímpanos destruídos

Pensamentos isentos

Carcomidos

Em transe

Sem argumentos

Incompreensível

Impossível

Impassível

Ilusão da vida

De viver

De amar

De querer

Sem sonhar

E esquecer

Se conformar

E esperar

Para morrer.



Carmo Bráz

Página da Autora: https://www.recantodasletras.com.br/autores/carmobraz


Posts recentes

Ver tudo

Entre nós e maresia

Éramos 12. Perambulantes. Numa mistura que nos dava coesão. Andávamos como só naquela época podíamos, despreocupados e com todo o tempo a nosso dispor. Adolescentes, jovens, amigos. Éramos um. Grupo s

Desencontro Virtual

Já não quero receber teu abraço Meu corpo ressente Este corpo que recentemente é só meu Não há toque virtual As vezes evito teu olhar Ele me assusta e me desafia Acho que me desestabiliza E fecho a câ

Morre o sol e nasce a lua

O Sol sabe se retirar, Após brilhar um dia inteiro. Sabe a hora exata de recolher o brilho, E nunca é passageiro. Ele volta no dia seguinte, Ainda que as nuvens venham fortes, Ele nunca sucumbe, Ainda

© Copyright