Zanzibar

O corpo na direção inglesa, é difícil saber quem

realmente está na contramão. Às vezes tropeço

em um abraço que não quer ser só abraço, então

recuo o texto como quem pega impulso para

lançar-se ao inseguro. Curtos momentos que

perduram como uma onda gravitacional, alegria

que provoca distorção no espaço/tempo.

Penso nos buracos negros, na colisão dos buracos

negros, na implosão do desejo das estrelas,

nas consequências da atração que captura nossa

luz. Safari quântico,

estamos na distância que gera uma estranha

aproximação.

Quando exatamente optamos pelo silêncio?


Vandia Leal


Texto retirado do livro In-quietudes de Vandia Leal. Padê Editorial - Cole-sã escrevivências, n. 13.

http://pade.lgbt/loja/vandia-leal-in-quietudes/

Posts recentes

Ver tudo

Onde vais pelas trevas impuras, cavaleiro das armas escuras (...) Cavaleiro, que és? – que mistério Que te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? Álvares de Azevedo Por que é que voc

Lucas e Adalberto escreveram sua carta ao Papai Noel juntos. Empolgados, eles conversaram sobre o que fariam quando recebessem seus brinquedos. Lucas pediu uma bola e Adalberto um carrinho de madeira.

Dentro de mim cadeado, Porta aberta, cárcere privado, Ventre ancestral do tempo, Dentro de mim, muralha, Que a palavra não apaga Chica da Silva, Marielle, Anita, Dandara, Pagu, Maria Quitéria, Maria B

Deixe seu comentário: