Buscar

Zanzibar

O corpo na direção inglesa, é difícil saber quem

realmente está na contramão. Às vezes tropeço

em um abraço que não quer ser só abraço, então

recuo o texto como quem pega impulso para

lançar-se ao inseguro. Curtos momentos que

perduram como uma onda gravitacional, alegria

que provoca distorção no espaço/tempo.

Penso nos buracos negros, na colisão dos buracos

negros, na implosão do desejo das estrelas,

nas consequências da atração que captura nossa

luz. Safari quântico,

estamos na distância que gera uma estranha

aproximação.

Quando exatamente optamos pelo silêncio?


Vandia Leal


Texto retirado do livro In-quietudes de Vandia Leal. Padê Editorial - Cole-sã escrevivências, n. 13.

http://pade.lgbt/loja/vandia-leal-in-quietudes/

Posts recentes

Ver tudo

O bêbado no cais

Em cada despertar um olhar estático em direção ao horizonte Morre o velho nasce o novo e dispôs-se a recordar Infante, clemente, nem tanto incandescente a vela acesa no altar Foge de mim esperança ao

Rota para a luz

Rota para a luz, A tua ténue paixão, Rosto que me seduz, Quando me dás a tua mão. O meu acreditar conduz, Todo os meus desejos e coração. Nem o passar do tempo reduz, Esse sentimento de emoção. O amor

Lua de marfim

Te contemplo no céu, Te admiro por sob o mar, Deixo guiar-me pelo seu véu, Misterioso clarão do Luar! Oh! Lua de marfim! Tem pena! Tem pena de mim! És minha saga, Beijo o chão, Por onde vaga O teu cla